Ramos Pinto

Por Rui Falcão*

Ramos_Pinto.jpeg

Desde que foi fundada especificamente como uma vinícola de Vinho do Porto, por Adriano Ramos Pinto em 1880, a empresa Ramos Pinto focou o mercado brasileiro, onde afirmam atender mais da metade do mercado consumidor desse tipo de vinho no país. Tornaram-se célebres e pioneiros na forma de promover, pelos seus cartazes da bebida associados  a arte, e que eram encomendados a artistas internacionais da época.

Adriano Ramos Pinto teve o mérito de ter desenvolvido para o seu vinho, nichos de mercado onde antes ninguém tinha ousado. Isto fica evidente no Brasil onde distribuiu garrafas de vinhos especiais para as forças armadas locais, com o rótulo de "Exército & Marinha", ou para o clero com o "Vinho do Porto para os Prelados", especificamente para o público feminino o "Porto Fonte" e o "Porto Brasil", com etiquetas inspiradas na delicadeza da "Art Nouveau", numa época em que ninguém pensava no conceito de mercados segmentados para distribuição de produtos.

Ele também foi inovador na criação de uma nova categoria de vinho - vinhos medicinais - que teriam propriedades fortificantes, como o famoso "Vinho do Porto Febrifugo" e "Porto Quinado " dos anos 20, que proclamava as virtudes do quinino . A empresa Ramos Pinto foi também uma pioneira no estudo das castas portuguesas, na viticultura na região do Douro, bem como na produção de vinho "assemblados", com mistura de uvas de diferentes sub-regiões e altitudes. 


* Rui Falcão is a renowned Portuguese wine journalist, author and wine educator.  He is also a judge at several international wine competitions.