Dão Sul / Global Wines

Por Rui Falcão*

Do_Sul.jpeg

A paixão e a aposta da Dão Sul pelo Brasil e seu forte compromisso com o país significavam que eles não teriam que pensar duas vezes para se estabelecer e produzir vinho aqui. A região escolhida foi o Vale do São Francisco, nordeste do Brasil, em pleno sertão, um lugar anteriormente dedicado à produção de uvas de mesa.

Dão Sul investiu em alguns novos e radicais conceitos na plantação de mais de 200 hectares de vinhedos, em uma latitude onde ainda, por muitos, se conceitua como de impossível a cultura de vinhas viníferas.

Também foram ajustadas as práticas tradicionais de vitivinicultura portuguesa, levando-se em conta as condições ali encontradas, conseguindo introduzir variedades como Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinto Cão e Sousão - uvas que provaram ser cruciais para o reconhecimento dos vinhos de Dão Sul .

Vinte anos após essa empreitada de quatro sócios, as operações foram expandidas também em Portugal, com o aumento do número de vinhedos (quintas e parcelas), no Dão. As novas vinhas foram introduzidas desde a Quinta de Cabriz até a Quinta dos Grilos, da Casa de Santar ao Paço dos Cunhas de Santar . A empresa também se estendeu para outras regiões como o Douro onde possui agora duas vinhas e uma vinícola, para o Alentejo , onde eles têm uma parcela e uma vinícola, para a Bairrada, onde eles têm uma Quinta e uma vinícola, e finalmente para a região do Vinho Verde, com uma parcela.

 

 


* Rui Falcão is a renowned Portuguese wine journalist, author and wine educator.  He is also a judge at several international wine competitions.