Lisboa

Lisboa

Lisboa.jpg

A região vinícola de Lisboa foi até recentemente conhecida como Estremadura. Os vinhos feitos aqui, em grande parte, pertencem a cooperativas, com uma grande variedade de estilos e qualidade. Esta região, onde o "vinho regional Lisboa" é predominante, também tem nove DOC´s (Denominações de Origem).

A brisa fresca do mar faz girar os moinhos de vento nesta encantadora região montanhosa, que compreende parte da costa oeste e o norte de Lisboa. Ali encontramos ótimas vinhas, especialmente próximo ao mar. A área de Vinho Regional Lisboa (até 2008 conhecida como "Vinho Regional Estremadura") tem mais DOCs do que qualquer outra área de Portugal: um total de nove, das quais uma é específica para aguardente, ao invés de vinho. O vinho vendido como Regional Lisboa é de excelente qualidade, embora muito da produção abasteça ainda , exclusivamente as antigas cooperativas. Mas já há um número crescente de vinícolas privadas, com produtos mais populares, conhecidos como “vinho da mesa”.


Sub-regiões

É surpreendente que duas históricas denominações da região de lisboa estejam diminuindo com o tempo, Na região denominada Carcavelos, muito famosa por seus vinhos doces, a maioria das vinhas deram lugar a edifícios. Na denominação Colares, que fica próxima a Cascais, e produz praticamente sobre dunas de areia protegidas por quebra-ventos, encontra-se cada vez menos vinhedos, embora produza vinhos cuja alta acidez lhe permitem uma guarda muito longa. Sua uva principal é a Ramisco tânico, dificilmente encontrada hoje em outra região.

A DOC Bucelas é a terceira menor e possui uma longa história na produção de vinhos. A região tem crescido nos últimos anos e ficado mais em evidência pela melhoria de qualidade de seus produtos, especialmente os brancos, considerados dos melhores de Portugal.

Ao norte de Bucelas, ainda no interior, encontra-se a pequena região de Arruda. É como se fosse um delicioso país de conto de fadas: montanhas, um antigo castelo em ruínas, antigas estradas romanas, moinhos históricos (hoje em dia equipados com modernas turbinas eólicas), e vinhedos, principalmente de uvas tintas. Desde 2002, os vinhos DOC Arruda podem incluir uvas internacionais, como a Cabernet Sauvignon, Syrah, Chardonnay, assim como algumas uvas de classe de outras regiões de Portugal como a Touriga Nacional e Touriga Franca. O mesmo vale para as outras regiões DOC na parte central da área do Vinho Regional Lisboa: Alenquer, Torres Vedras e Óbidos. Neste clima ameno, as uvas podem amadurecer com tranqüilidade e produzir muito bons vinhos com boa concentração e acidez.

 

Ao norte de Arruda, a DOC Alenquer está protegida dos ventos atlânticos pelos montes calcários da Serra de Montejunto. Os produtores altamente motivados, conscientes da qualidade do micro clima único de Alenquer. Na DOC Torres Vedras, é mais frio para o lado do mar da Serra de Montejunto, especialmente no flanco ocidental da região, onde a brisa do mar é mais forte. Esta é uma fonte de vinhos brancos secos, incluindo o de baixo teor alcoólico conhecido como Vinho Leve. Ao norte de Alenquer a área DOC Óbidos, possui uma bela cidade medieval ainda murada na sua face norte. A região produz vinhos brancos e alguns dos melhores espumantes em Portugal, alem de alguns tintos leves e elegantes.

 

A oeste de Óbidos e tocada pela brisa atlântica, a DOC Lourinhã é uma região montanhosa, onde peras, maçãs , pêssegos e figos disputam espaço com os vinhedos. A região envolve a bela cidade de Leiria, o famoso centro de peregrinação de Fátima e os mosteiros fabulosos da Batalha e Alcobaça , ambos eleitos como Patrimônio Mundial da UNESCO. Seus vinhos brancos e tintos são leves, frescos e pouco alcoólicos.

 

 


Principais uvas brancas:

  • Arinto, Fernão Pires, Malvasia, Seara-Nova e Vital

Principais uvas vermelhas:

  • Alicante Bouschet, Aragonez, Castelão, Tinta Miúda, Touriga Franca, Touriga Nacional e Trincadeira